28 de outubro de 2005
É DANDO QUE SE RECEBE!


(pode pensar o que quiser, ainda acho a reciprocidade uma das coisas mais gostosas- e divertidas - desse mundo)


Vem cá. Me dá a sua mão. Coloca sobre meu peito. Agora escuta. Olha o tumtumtum. Você pode me ouvir? É pra você, seu besta! É por você que meu coração bate! (Ele, que de tanto bater, parou sem querer outro dia). Posso confessar? Jura que vai acreditar em mim? A verdade é que estou de saco cheio de histórias românticas. Meus casos de amor já não têm a menor graça. Será que você me entende? Eu não escrevo porque vivo amores cinematográficos e quero contar pro mundo. Não!! Eu escrevo porque eu sou uma maluca. Minha vida é real demais. Um filme B pra ser mais exata. E eu não acho graça em amores sem final feliz. Por isso, invento. Pro sangue correr pelas veias, pra lágrima cair dos olhos, pra adrenalina sacudir o corpo. Eu invento amores pra ver se eu acredito em mim. (Acredita?). Mas hoje eu estou cansada. Estou cansada de mentiras, de realidade, de telefone mudo e de músicas sem letra. Estou cansada de escrever sobre o meio ambiente, redigir manifestos contra o uso de peles de animais em casacos, falar sobre o que será a moda nas ruas. Hoje não! Uma hora eu escrevo sobre isso, sei lá. Mas deixa primeiro eu salvar a MINHA pele. Me deixa ser egoísta. Me deixa fazer você entender que eu gosto de mim e quero ser preservada. Me deixa de fora de suas mentiras e dessa conversa fiada. Eu sou uma espécie quase em extinção: eu acredito nas pessoas. E eu quase acredito em você. Não precisa gostar de mim se não quiser. Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado. Não me diga nada. (Ou me diga tudo). Não me olhe assim, você diz tanta coisa com um olhar. E olhar mente, eu sei! E eu sei por que aprendi. Também sei mentir das formas mais perversas e doces possíveis. (Sabia?) Mas meu coração está rouco agora. GRAVE! Você percebe? Escuta só como ele bate. O tumtumtum não é mais o mesmo. Não quero dizer que o tempo passou, que você passou, que a ilusão acabou, apesar de tudo ser um pouco verdade. O problema não é esse. Eu não me contento com pouco. (Não mais). Eu tenho MUITO dentro de mim e não estou a fim de dar sem receber nada em troca. Essa coisa bonita de dar sem receber funciona muito bem em rezas, histórias de santos e demais evoluídos do planeta. Mas eu não moro em igreja, não sou santa, não evoluí até esse ponto e só vou te dar se você me der também. Pode rir, é isso mesmo. Não vou fingir ser o que não sou. Quer me tratar bem? Amém! Se não quiser, vá com Deus, não me procure mais! Amor incondicional é muito bonito. Mas eu só tenho por mim, pela minha família. E pelos meus gatos. De resto, sou igual bicho. Me morde e eu te como. Com as minhas palavras. Que são meu maior mel. E meu melhor veneno.

26 Fala, coração!:

Thay disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mariana disse...

Não some tanto tempo de novo mulher!! Eu morro de saudades! Adoro esse texto e hj ele caiu como uma luva!!!

Alfred disse...

.. que fantástico!!! Tb adooooro esse veneno..rs. Parabéns moça linda

Angélica disse...

Ai ainda bem que você postou...
Faz tão bem pra gente Fê!
Lindo, lindo e lindo, como sempre!
Beijinhos coms abor de mel,
Angélica

Larissa disse...

NÃO SOOOOOME!!! Please...visito seu blog quase todos os dias =)
que bom que vc postou hje!

Maria Eugênia disse...

Vc conseguiu colocar o palavras o que eu venho sentindo há quase duas semanas e não conseguia escrever... E olha que tenho essa mania de achar que escrevo bem!! Hauahauahau!! Arrasouuu!!!! Ameiii!!!
Poste sempre, entro no seu blog direto esperando novidades!! Bjosss e uma semana iluminada pra vc!

Loly disse...

Mulheeer! Voltou com todo o gás, hein? Nossa, divinas palavras!
Mas é claro, a reciprocidade é uma delícia... Muito mais quando a gente oferece o nosso melhor!

Não nos abandone, PRINCESA DE RUA! Beijos, lindaa!

Fátima disse...

''Mas não me faça acreditar que é amor, caso seja apenas derivado
''

adorooooooooooooooo

...Natália Monique... disse...

Fernanda, esse texto é lindo...como todos é claro, mas a reciprocidade é algo divino...rsr!

parabéns e post sempre...

beijo

ferdi disse...

Nossa, Fê! Que supresa! Que bom que você voltou!
Você está mais que certa. E acho que quem diz que ama sem esperar nada em troca ou tá enganando o outro ou a si mesmo.
Como que tá seu processo do livro? Mês passado consegui publicar meu primeiro (uma ficção!). Tão legal!
Beijocas!

* Mayra Pelissari * disse...

Uau! Adorei. Tudo o que a gente uma vez quis dizer, colocar pra fora, mas ou não consegue ou não tem coragem.

Como disse, as palavras podem ser doces ou veneno. Se declara uma guerra apenas com palavras.

AMEI!

Bjoks!
;-*


PS.: acompanho seu blog há um tempo e te linkei, pode ser???

Fernanda disse...

Liiindo demais fê.liiinda !
Que show, realmente o lance é amar e ser amada, dar e receber ;)
Suas palavras são lindas, com certeza é o seu maior mel (de doces que elas são) e dependendo da situação acredito que podem ser o seu melhor veneno.
A cada dia que passa, você me surpreende fê! queria tanto que você dissesse se tem alguma música nova na praça.
Vou procurar notícias no perfil do seu fã clube e nunca ninguém responde, não vejo novidades suas ! estava com saudades ;)
depois de tanto tempo você acabou dando o ar de sua graça, para alegrar a minha mente e variar o que eu leio. :D
beijoos de coração xará,
espero que lembre de mim ;)
;*

Diii disse...

Adoreiiii. Todas as palavras .. perfeitas e dizem tdinhooo. some mais não, viuuu??


BjOO!!

B R E N A disse...

Continuo na mesma opinião:
ké? ké.
Num ké? DÁ RÉ.

Já to preparando um texto sobre isso.

Mandar o galo cantar em outro terreiro!

Bruna disse...

Aaaah eu fiquei um tempo sem visitar o blog e eis que lá vem mais textos lindos! É incrível como você consegue passar tanto sentimento através de palavras! BEijoca!

Bruna disse...

Aaaah eu fiquei um tempo sem visitar o blog e eis que lá vem mais textos lindos! É incrível como você consegue passar tanto sentimento através de palavras! BEijoca!

ro. sampa disse...

parece que retornei
em tempos de cólera

a porta está entreaberta
e palavras graves
ocupam os espaços
tudo em volta como sempre
e dentro, turbilhão

deixo na entrada
saudades embrulhada
mas eu volto
;)

bjs

Fê... disse...

"...e ela me faz tão bem, ela me faz tão bem...q eu tb quero, fazer isso por ela...!"

Saudades q eu tava, sabia?? MUITAS, inclusive!

Luv ya!
Bjoo!

Marina Loretti disse...

Fernanda, não conhecia seu blog nem seus textos.. li quase todos hoje e to muito impresionada!!! são incriveis!
me encontrei em varios dos seus textos! esse mas do que os outros de tocou demais.. eu tambem amo escrever e consigo imaginar o que te levou a escrever um texto assim.. realmenyte incrivel!!
espero que se você lançar mesmo o livro esse texto esteja.. é de um nivel impressionante!

Rafa disse...

Tô boba como vc consegue por em palavras, esse sentimento td!!!!

Mary disse...

esse texo é uma das maiores verdades que eu já li!

Dona Lili disse...

Ê laiá... agora eu ví a realidade. Bom demais esse texto.

ritiele disse...

nossa estou nessa mesma faze,
nada de dar sem receber,
e não quero esmolas,
se ele acha o tempo dele não precioso
não o perca me fazendo propostas inuteis,
que eu não irei aceita-las
não estou mendigando horas e minutos quero muito mais
procuro o infinito...
beijooo

LoF disse...

Impressionante esse texto. Não sei se é porque senti, estou sentindo e ainda vou sentir tudo isso que você escreveu por um tempo.
O ciclo vicioso. Aquele que eu não consigo sair, porque sempre resta a maldita esperança de que tudo pode dar certo.
E a verdade é que pode! Todas as histórias dão certo, o tempo que deveriam dar. O errado é o jeito que encaramos o fim.

Obs: anoto suas frases num caderninho feito louca pra ficar lendo. Você é sensacional!!

beijos

Angélica Campideli disse...

É, parceira... sem essa de amores incondicionais... também cansei de inventar amores para acreditar que eu sou uma mulher magnífica... a gente sofre muito, sabe porquê? Intensidade, minha cara... somos intensas de mais para sermos entendidas. Não sei se você, assim como eu, também sente uma felicidade intensa quando está imergindo em devaneios pré-ilusão... (sente?). pois é, um dia desses estava conversando com um amigo (mais um destes babacas sobre o qual estamos falando) e ele me perguntou porque eu escrevia, e eu disse: porque não consigo falar. Sinto que você é assim também, duvido que consiga falar tão bem sobre sentimentos quanto escreve! Nós, mulheres intensas, somos poetas por pura falta de coragem de falar. Eu acesso com facilidade os sentimentos alheios e consigo escrever sobre o que outra pessoa está sentindo (geralmente acerto, nunca errei!). Pois bem... os caras são mesmo babacas, mas nos ultimos tempos eu tenho aceitado que a culpa é toda minha... sou eu que desenho um futuro lindo ao lado de alguém que, pode até ser que esteja interessado, mas nunca da mesma forma intensa que nós, mulheres poetas.

Luana Santos disse...

que texto perfeito

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!