MANIA DE GATO

É aquela velha história. Amor, pra mim, só dura em liberdade. Nasci pra ser livre e - quem quiser - que me deixe assim. Tenho dois pares de asas, um desejo infinito no peito e um lado druida que não se cala. Sou guerreira. Sou canceriana. Sou filha da lua. Quero sempre o vôo mais alto, a vista mais bonita, o beijo mais doce. Tenho um coração que quase me engole, uma força que nunca me deixa e uma rebeldia que às vezes me cega. Tenho um jeito de viver selvagem, mas sou mansa com quem merecer. Não gosto de café morno, de conversa mole, nem de noite sem estrela. Sou bem mais feliz que triste, mas às vezes fico distante. E me perco em mim como se não houvesse começo nem fim nessa coisa de pensar e achar explicação pra vida. Explicação mesmo, eu sei: não há. E me agarro no meu sentir porque, no fundo, só meu coração sabe. E esse mesmo coração que me guia e não quer grades nem cobranças, às vezes me deixa sem rumo, com uma interrogação bem no meio da frase: O que eu quero mesmo?
Por isso, eu te peço (de um jeito meio sem-vergonha, que é assim que eu costumo ser): se eu gostar de você, tenha a gentileza de não me deixar tão solta. Não me pergunte aonde vou, mas me peça pra voltar. Sou fácil de ler, mas não tente descobrir porque o mesmo refrão insiste em tocar tanto. Se eu gostar de você, tenha a delicadeza de também gostar de mim. E me deixe ser, assim, exatamente como eu sou. Meio gato, meio gente. Desconfiada. E independente. E adoradora de todos os luxos e lixos do mundo. Quer me prender? Nem tente. Quer me adorar? A escolha é sua, meu amigo, vá em frente!






ps: Na foto, Cazuza - meu gato - e eu.


(aproveitando a inspiração e total transpiração nesse dia quente de janeiro, aí vão mais umas linhas)...



COM O LIVRO NA BARRIGA...


Sabe uma das coisas mais bonitas que minha mãe me ensinou? Só sabe amar de verdade quem deixa que o outro SEJA. Putz. Acho isso a coisa mais foda do mundo! Isso é Amar com A maiúsculo, amor sem egoísmo e com total aceitação das nossas tantas imperfeições. É aí – bem nessa hora em que amamos “apesar de” - que fazemos nascer a coragem no outro. Coragem de ser melhor, de ajustar os tons, de se fazer conforme os próprios sonhos. Por isso – e por elas (as grandes mulheres da minha vida) – que hoje resolvi escrever esse texto. Porque finalmente vou lançar meu livro de crônicas, apesar de tantas contas vencidas, inseguranças acumuladas e noites em claro. Eu concordo que viver de letras é coisa de gente maluca, mas eu escolhi isso para a minha vida e não vou parar. Gostaria, portanto, de agradecer a todos que me apoiaram todo esse tempo, principalmente à Dona Guilhermina, minha madrinha Nena, Tutu, minhas grandes amigas, afilhada e minhas fiéis escudeiras Fá e Beta, que me deram colo, pagaram minha luz, leram todas minhas abobrinhas e deixarem que eu FOSSE, simplesmente. À essas maravilhosas mulheres, eu dedico meu futuro livro. Em breve, nas livrarias!





Ps: O livro será uma surpresa! Uma coletânea dos melhores textos do blog, crônicas e poesias inéditas, fotos, frases e outras delícias! Consegui patrocínio da Siemens, através da lei Rouanet. Quem tiver interesse (pessoa física ou jurídica) de entrar como segundo patrocinador ou apoio, é só mandar email para fernandamello2006@gmail.com. Mantenho todos informados sobre a data de lançamento. Obrigada pela força e um ano novo realmente NOVO para todos!

49 Fala, coração!:

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!