“Cansei de pagar mais por menos. Eu enxergo sua alma. Enxergo suas incertezas. Mas eu não quero suas dúvidas… Por favor, durma com elas. Nem que seja por esta noite. Eu também tenho medo de errar e levar a sua culpa pode ser uma enorme bagagem para mim. Entende? Algum dia há de dar certo. Se não for do jeito que sonhamos, será de um jeito muito melhor. O mundo nos prega peças, sabia? Eu não quero competir com refrões. Eu quero poesia, sentimentos e beijos no pescoço. Será que é pedir muito?”
(Fernanda Mello)



Para ler:
Bom, estou in love com a Regina Navarro. Então vou indicar o livro "Cama na Varanda", além do "Livro do Amor" volume 1 e 2. Muito interessante, faz a gente pensar e questionar o porquê de nossas formas de agir em relação ao amor, ao sexo, ciúmes e afins. Vale a pena!

Para ouvir:

Fiquem ligados no que vai ser moda na primavera/verão:







Novidades que vem por aí!
Para quem gosta de novidades de make e cosméticos, a Wafer vai receber a Linha Intea e makes super bacanas da Benefit, Chanel, Mac e afins. Curtam a página e fiquem por dentro! 

Cultive o bom-humor:

 Aprenda a colar cílios postiços:


Para vida ficar mais doce:


Para anotar no caderninho:

Layout by Ana Nunes
"Regidos pelo amor romântico, cada um espera ter todas as suas necessidades satisfeitas pelo outro. Acredita-se que o amado deve ser a única fonte de interesse. Antes da Revolução Industrial (no final do século XVIII) as famílias eram extensas — pai, mãe, filhos, primos, tios, avós — e as exigências emocionais eram divididas por todos os membros que viviam juntos.A família nuclear (pai, mãe e filhos), que caracteriza a época contemporânea, reduz a troca afetiva a um número pequeno de pessoas, favorecendo a simbiose e sobrecarregando marido e mulher como depositários das projeções e exigências afetivas do outro". (Regina Navarro, em A Cama na Varanda).
"O mais grave nos contos de fadas é a ideia de que as mulheres só podem ser salvas da miséria ou melhorar de vida por meio da relação com um homem. As meninas vão aprendendo, então, a ter fantasias de salvamento, em vez de desenvolver suas próprias capacidades e talentos.” (Regina Navarro)
"Tudo quanto vive, vive porque muda; muda porque passa; e, porque passa, morre. Tudo quanto vive perpetuamente se torna outra coisa, constantemente se nega, se furta à vida." (Fernando Pessoa)
"Não queremos perder, nem deveríamos perder: saúde, pessoas, posição, dignidade ou confiança. Mas perder e ganhar faz parte do nosso processo de humanização". (Lya Luft) 

"Não sou feia que não possa casar,
acho o Rio de Janeiro uma beleza e
ora sim, ora não, creio em parto sem dor.
Mas o que sinto escrevo.  Cumpro a sina.
Inauguro linhagens, fundo reinos
— dor não é amargura.
Minha tristeza não tem pedigree,
já a minha vontade de alegria,
sua raiz vai ao meu mil avô.
Vai ser coxo na vida é maldição pra homem.
Mulher é desdobrável. Eu sou. (Adélia Prado)



5 Fala, coração!:

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!