Cicatrizes...



Sabe quando a vida vira um telefone sem fio? 
Então, tem coluna minha no DESTRINCHANDO, falando sobre isso.



  
3 motivos para não espremer espinhas e cravos
Para muitos, é quase uma tentação espremer espinhas ou cravos. Contudo, a prática pode causar danos à pele, ema alguns casos, bem difíceis de reverter. Provavelmente, você conhece alguém que tem aqueles “furinhos” no rosto.
O que ocorre é que peles oleosas são propensas ao surgimento de espinhas. Esse quadro é mais comum, especialmente, na adolescência, período em que as taxas hormonais estão em alta e a produção sebácea é favorecida. Listamos, abaixo, três motivos para lhe convencer de vez que não vale a pena espremer cravos e espinhas:
Agravar a inflamação
A pressão exercida sobre a pele ao espremer uma espinha pode agravar internamente a lesão, sem falar no risco de contaminação por bactérias que podem penetrar no local e se proliferar.
Gerar cicatrizes
Apesar de uma falsa sensação de alívio após espremer uma espinha, ao fazê-lo, a pele é lesionada de forma abrupta. A lesão pode se transformar em oscilações na superfície da pele após a cicatrização, formando os tais furinhos na pele.
Tratamento demorado
O tratamento de cicatrizes não é uma tarefa fácil. É possível atingir excelentes graus de melhora, mas não se pode garantir o desaparecimento completo, mesmo com o uso de avançadas tecnologias. No entanto, uma opção bastante utilizada é o laser fracionado de CO2, que ameniza as marcas agindo em um nível mais profundo da pele, proporcionando melhora significativa à textura da pele.


Sobre o o doutor: +Dr. Bruno Vargas  é  Sócio Diretor da Inovatto, dedica seu tempo exclusivamente no exercício da dermatologia com excelência, concentrando a sua atuação nas áreas de Cirurgia Dermatológica e Laser em Dermatologia.

0 Fala, coração!:

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!