Amores tóxicos

Começa assim, ele chega te chamando daquele jeito que você sempre quis, um carisma delícia como você nunca viu, é sedutor e vítima. Tudo de pior que existe na vida já aconteceu com ele e foi colocada, em suas mãos, a responsabilidade por toda a felicidade desse homem! Pronto, um prato cheio pro nosso narcisismo que está sempre à espreita de algo que reforce a ideia de que você é foda, você vai conseguir, a auto estima elevada externa, que tem a ver com o “amor” do outro, não de você para você. Seu desejo, às vezes inconsciente e muitas vezes está na cara mesmo é fazer esse homem mais feliz do que qualquer outra mulher já fez.
Aí, além de tudo, entra a competição feminina como outras que ele já teve. No começo, todas as palavras que saem da sua boca são para elogiar você, para te mostrar que do seu jeito ele nunca mais vai encontrar ninguém. Vem o primeiro ciuminho, você se sente importante, amada. Ah o amor, sentimento que transforma a vida! Tudo fica mais fácil na sua rotina chata e sem graça quando ele aparece. Um dia li numa dessas postagens que se vê por aí dizendo que, quem ama pela inteligência, não ama apenas admira, que quem ama pela beleza não ama, é só interesse, e que amor de verdade é aquele que não se sabe por que se ama. Ora quanta bobagem. A gente ama pela inteligência, porque acha belo sim, porque admira. Amor sem motivo tem outro nome, carência. E é numa dessas que a gente cai em uma roubada. Aquele ciuminho que no começo era uma grande prova de amor vai aos poucos mudando, muda o modo de você se vestir, de se comportar, porque ele te tolhe, mas te elogia, bate e assopra, você vai querer perder isso? Quando ele começa a te proibir de sair com as amigas você acha lindo, se sente importante, amada. Ele toma a sua liberdade e você se sente protegida. Até que, aos poucos, ele vai mostrando a que veio. O abusador sabe quem escolhe, conhece o cheiro e o jeito da carência, essa ali que nem sabe por que ama, ele sabe que as poucas migalhas de carinho são capazes de te prender, afinal você não quer ficar sozinha, e assim ele terá todo o poder que precisa para se sentir forte. Ou seja, ele também
depende de você, mas no caso dele para se sentir seguro precisa da sua submissão. E por que nos contentamos com pouco, com esse tipo de jogo doentio? Porque nós seres humanos temos uma forca que atua dentro de nós que busca o prazer, e mesmo que seu parceiro te humilhe, os poucos momentos “felizes” são tudo o que você tem. Não é sua culpa, culpar a vitima é um erro que incentiva comportamentos assim, mas é sua responsabilidade dar conta de ficar sozinha (e livre) dando o fora quando aparecerem os primeiros sinais de que essa relação não é uma boa mesmo. As ex dele, por exemplo, o odeiam, mas para você são todas loucas e você que é demais vai mudar esse cara, ou ele não serve para você? A escolha é sua nesse momento, porque depois que ele tornar você dependente dele o buraco pode parecer fundo demais. Mas nunca é. Nosso maior problema é insistir, achar que somos capazes de mudar o outro que não quer ser mudado, afinal ele sente prazer sendo assim. (Aqui mesmo já falei do Principio do prazer). Já escutei muita mulher dizendo que precisa ser menos exigente. Com relação a muitas coisas como aparência e beleza, sim, sempre nos é belo aquele a quem amamos.
Com relação à felicidade não é que precisamos ser menos exigentes, mas precisamos ser realistas, não acreditando que tudo será um mar de rosas. Mas agressão de qualquer tipo, física e psicológica, é muito diferente. Ser menos exigente quanto a caráter, valores, respeito, JAMAIS.



"Amor no Divã" e "Frases no Divã" é escrita pela psicóloga, psicanalista clínica, gestora de pessoas e especialista em projetos para terceiro setor +Renata Lommez,que me ajudou em todo o livro O AMOR NA TPM. 









ps. A questão do abuso emocional, gaslighting, amores tóxicos, e a luta da mulher por ser ELA MESMA são temas muito importante a serem abordados, já que sufocam e destroem internamente muitas mulheres, inseridas na sociedade machista em que vivemos. Sendo assim, convidei a Renata para escrever essa coluna no blog (já que ela é uma profissional foda e tem aquela mistura interna de Frida e Simone de Beauvoir!), além de criar, com ela,  um Instagram voltado para esse tema, o @issonaoehamor
Quem tiver interesse, só seguir nosso perfil ou enviar direct com assuntos e temas relacionados. Será um prazer escutar vocês. JUNTAS, SOMOS SEMPRE MAIS, GAROTAS! Não se esqueçam disso. 


0 Fala, coração!:

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!