Crônicas digitais: Encontros e Desencontros





Ficha Técnica:

Direção/fotografia/edição: Marinho Antunes
Texto: Fernanda Mello
Assistente de direção: Sérgio Oliveira
Makes: Ana Karina
Produção de moda: Migui´s
Trilha: Roberta Campos
Produtora: Estudio Pro
Apoio: M1 Station               



Encontros e Desencontros

(até quando você vai dar desculpas para os seus medos?)

Percebo que, hoje em dia, as pessoas estão muito exigentes em relação ao amor.  Qualquer passo em falso: Adeus!  Não aceitamos erros alheios. Não aceitamos qualidades no outro que, pra nós, sejam defeitos. Queremos que todos estejam conectados com nossas expectativas, que estão altíssimas e não param de crescer. O que nos é possível, não nos interessa. Almejamos o perfeito. O irreal. O ilusório. Queremos sempre o melhor, mesmo que o “melhor” não se adéque à nossa vida.
 Vivemos – na verdade - na era da Intolerância. Do imediatismo.  Da falta de paciência. Seja com downloads lentos, celulares fora de serviço. Ou pessoas que não seguem o nosso ritmo. 
No meio do caos,  esquecemos o essencial: para se relacionar, é preciso tempo.  Tolerância. E uma boa dose de bom senso. Não, pessoas não são descartáveis. Não existe manual, nem informações no rótulo.  Quer saber? Todo mundo tem lá seus “defeitos”. Mas, nessas horas, não existe “loja autorizada”, nem garantia. No máximo, uma terapia ou um bom ombro amigo pra se reajustar.
Agora, minha pergunta: porque andamos, assim, tão exigentes? Será culpa da tecnologia e sua crescente evolução? Será falta de auto-conhecimento e amor próprio? Será que, no fundo, temos medo de amar e nos autoboicotamos com situações que nunca vão dar em nada?
Pode ser um pouco de cada coisa. Outro dia, ouvi uma frase interessante de uma amiga: o dilema da mulher moderna é saber, ao certo, o que ela procura. Porque, se ela procurar, vai achar! Achei de uma sabedoria incrível. E pensei: ao dizer isso, sei que muita gente vai me criticar. Mas pense comigo: será que estou, de fato, errada?
Não, não vamos colocar a culpa no outro. Se as coisas não estão dando certo, temos grande responsabilidade sobre elas.  Não vamos começar nosso discurso manjado que queremos viver o amor, quando, na verdade, atraímos pessoas problemáticas, instáveis e avessas a compromisso. Se isso acontece uma vez ou outra, tudo bem. Do azar no amor, ninguém foge.
Mas se o padrão prevalece, então, está na hora revermos nossos conceitos. A gente acha o que – na verdade -  procura. Se encontramos pessoas (e amores) que só nos trazem infelicidade, angústia e ansiedade, o melhor a fazer é nos voltarmos para dentro. E repensarmos quem somos.  E o que realmente queremos.
Olha, eu não sou psicóloga, nem dona de nenhuma verdade. Adoro lugar comum, gosto de escrever sobre o que meu coração dita. Sei que ninguém gosta de aceitar suas culpas, muito menos admitir quando faz escolhas erradas. Mas, se estou aqui hoje, dando a cara à tapa, é porque descobri que me boicotei durante muitos anos. É, fugi do amor com medo de perder minha liberdade. Ou com medo de perceber que ter um relacionamento não traz garantia nenhuma de felicidade.  (Adeus sonhos de adolescente!).
Agora, eu vejo que viver o amor nada mais é do que conhecer a si mesmo profundamente e entender quem a gente é. E o que nos faz bem.
Portanto, antes de colocar a culpa da sua vida amorosa no outro. No destino. Em algum karma. Ou em qualquer lugar fora de você, PENSE BEM.
Nós encontramos FORA o que – na verdade – MORA AQUI DENTRO.


PS: Quem quiser comprar meu livro "Princesa de rua, só enviar um email para fernandamello2006@gmail.com. Valor: 35,00. Frete por carta registrada para todo o Brasil: 6,50. Total: 41,50. PROMOÇÃO: 2 por 60,00, frete Pac 12,00. total: 72,00.

Quem tiver interesse em parcerias e patrocínios para o "Crônicas digitais" e novos livros (2 aprovados pela Lei Rouanet), só enviar email para fernandamello2006@gmail.com.


38 Fala, coração!:

Raquel Ribeiro disse...

Precisava EXATAMENTE dessas palavras hoje.
Obrigada, Fernanda!
Beijocas

www.raquellribeiro.blogpsot.com

Fabiana Serrate disse...

Arrasou Fê!

Súdita de carteirinha sempre!!!

Beijocas nossas!

disse...

Ah, como não gostar do que você escreve, que escreve o que sente, escreve de uma maneira delicada, verdadeira sem superficialidades!!! Eu escrevo o que sinto, assim como você e quando leio o que você escreve parece que você escreveu tudo o que eu pretendia ou gostaria de escrever!!!

Adoro ler seu blog desde quando o descobri, virei uma leitora presente!!!

Beijos Fernanda, continue com essa sensibilidade!!! Espero um dia te conhecer!

angridy disse...

fernanda estas palavras cairam como luvas
levantei pessima hojeee afffff

Blog da Kellica - Mergulho Interior disse...

Muito legal este texto,aliás mais um né, rs!!!
A questão "ser responsável" me lembrou o livro : Arrancar máscaras,Abandonar Papeis ( JOHN POWELL)
Depois que li este livro tento me analisar sempre sobre esta "responsabilidade".
Ah ainda vou comprar o seu livro...rs Bj

Cristiane Mafra disse...

É flor, como sempre, vc emociona a gente... valeu pelas palavras sempre certas! Bjão :)

Anônimo disse...

Kkkkk no momentoem que me perguntei: "será que ela é psicologa?" Voce respondeu! Mto bom, adorei. Abaixo o imediatismo, individualismo e tds os "ismos" que transformam a gente em "maquinas", pessoas automatizadas!!!

Anônimo disse...

Fernanda,

Parabéns pelo vídeo/texto. Em breve em um jornal da cidade...rsrs

Good Luck!

Antônio Bortoletto

Manunamoral disse...

Musa....sabe que te amo né?!

Todas as vezes que leio suas palavras é como se vc estivesse do lado conversando.

Amiga de longe, mas pertinho do coração viu.

Sumemoooo.

Bjotas sonoras.

Bixudipé disse...

Muito boa a crônica. Assisti-a no Blogue de Cacau Moraes e fiz questão de conhecer o teu; dou-lhe o meu parabéns.

Abração.

Adriano Ferreira disse...

oi fernanda,
sempre aqui, essa beleza tão leve...
vc disse, nós encontramos fora o que - na verdade - mora aqui dentro.

será que a gente encontra mesmo fora? nao sei. acho que o de dentro só se acha dentro, é tão singular.

fora tem muitas coisas, infinitas... tão bom ver o que está além de nós. só não podemos esquecer que dentro de nós também há um infinito, particular. com que frequencia visitamos nosso próprio universo?
abraço

Por que você faz poema? disse...

Por dentro
ou
por fora
pouco importa
ainda dói.

Maíra disse...

Lindo como todos!
Parabéns

Lu disse...

#medo

Você colocou alguém pra me espionar? Tem câmeras aqui??? Respondeu algumas perguntas que andei fazendo esses dias. Eu hein?!!?

Verdade dói né?
Adorei que doeu. É na dor que se aprende, alguém já falou.

Beijo

Ana Karina disse...

MURRI!!!
Linda minha sista!!!
Lindo texto!!!
ORGULHO MEU!!!
AMOOOOOOOOOOO!!!

Anônimo disse...

Como é dificil admitir que muitas vezes o erro esta em nós!! Quem sabe quando aprendermos a digerir essas suas belas palavras a vida melhore, porque ta dificil viu??

Anônimo disse...

maaais um texto PERFEITO!você fala nos seus textos, tudo que a gente precisa ouviir, é impressionante. ;**

Alemdoque disse...

Não paro de ver o video e ler o texto...

Realmente abriu meus olhos para muita coisa, e vi tenho que procurar novamente minha essência para depois olhar o mundo afora de novo

Mto obrigada!

Um beijo

Paula C. C. Pessoa Bernardi disse...

Foi um soco e tanto na minha cara!
Excelente texto, parabéns por escrever com o coração e nos dizer o que precisamos ouvir, sem rodeios.

Helio Tadeu Moscatelli disse...

uAu ! Muito bacana seu trabalho! Minha colega de profissão...

www.desenhadinho.com

Marcella Fernanda disse...

Nossa, tava precisando msm dessas palavras.. vc é demais !

http://eusoumeigaporra.blogspot.com/

Beeijoss

Caio Nijam disse...

"Acontece que daí, a gente percebe que tudo foi em vão. Que o cara dos nossos sonhos pode até existir, mas que ele não cabe nos nossos sonhos. Remoemos por dentro todo apreço e toda a nossa babaquice de requinte francês para o amour. Corre atrás, queima a cara e vê que isso só serviu de atestar nossa profunda imbecilidade. Observa que ele é de outro ou outra e de todo mundo e que não é seu e não cabe dentro do seu coração. Chora, sofre e acha que vai morrer. Não morre, vira a esquina e percebe que a vida continua. Em alguns dias você ainda lembra dele e do sonho que sonhou e nunca realizou. Do nada um alguém inferior a tudo que você um dia mentalizou, oferece para te amar, te cuidar, te gostar. O que você faz? Despreza-o. Acha que ele é feio, pequeno ou nada daquilo que você quer. Quando acorda? Quando percebe que feriu um coração e que tudo que um dia quis não virá acontecer. Babaca? Sim... Pois ainda acredita no conto de fadas que criou e morre dentro dele com a mão dentro da própria calça..."

http://blogdonijam.blogspot.com

Um brasileiro disse...

oi. tudo blz? estive aqui dando uma olhada. muito legal. apareça por la. abraços.

Luis Felipe Salles Freire disse...

Muito bom! Quando a gente é jovem, parece que amor e maturidade são opostos, o tempo passa e uma pergunta surge: "são mesmo?". Quem procura o amor perfeito, ama o outro ou a si mesmo?

Aninha Jesus disse...

Como sempre: tocante! :)
Beijoca Nandoca.

Paula Hanser disse...

Tenho até medo de quando venho aqui... Começo a ler, e parece que você sabe exatamente tudo que a gente tá passando, vivendo... Muito louco isso viu?? E lindissimo!! Só o que posso dizer sempre de suas palavras!!! Pilulazinhas que me tornam melhor...


Bêjooo

Anônimo disse...

Espero que você saiba o bem que faz na vida da mulherada!!

Fernanda Moura disse...

Nossaa minha xará! Como tenho orgulhoo de ler seu blog! Quanta inteligênciaa, perspicácia, finura, elegância! É disso que nós, mulheres, precisamos! Acompanho o seu blog a muito tempo viu, PARABÉNS! *:

Fernanda Moura disse...

Ahh claro, quero elogiar também as "Crônicas Digitais"! Fantástico ver você falando no vídeo! Inovando sempre, ficou ótimo! *:

Michelle disse...

Como não ficar encantada e apaixonada pelos seus textos?
Adorei!

A Mina do cara! disse...

Essa ideia de fazer video-crônica é muito boa.

parabéns!

Amanda disse...

Fernanda, eu e minhas amigas sempre estamos acompanhando todas as suas publicações. Até parece que vc é uma de nós: amiga de eras! heheh
Confesso que esse vídeo mexeu conosco, o que gerou diversas conversas por telefone, em bar, mensagem no grupo das amigas e horas de insônia!


Tá aqui a nossa dúvida: Eu aceito minhas culpas e admito que, as vezes, faço escolhes erradas... Sim, eu me auto-boicoto! Sim, eu procuro relações desastrosas e impossíveis! Mas tb acho mto simplista virar e falar: vamos entender o que somos e ver o que nos faz bem! Cara, como a gte faz isso? Como mudar? Como? Sério... eu já entrei em várias crises por isso e até agora não entendo como sair dessa situação! Basta vc procurar ajuda espiritual? Tenho que ir numa terapia? Descarrego? Livro de auto-ajuda? Sei lá... não consigo pensar em nada mais! Uma coisa é certa... eu QUERO e PRECISO mudar! Mas como???

Bem que vc podia nos ajudar, né?! Escreva sobre isso! Eu e outras 10 amigas te agradecemos desde já! =)

Sá Ribeiro disse...

Menina, eu sou assim, de corpo alma e coração, inteiramente!
Medo de amar, é doença dessa nossa geração sabia! eu escrevi recentemente sobre isso, medo de amar, e li ele hj novamente, e agora entrei aqui e li esse seu post...A culpa é nossa mesmo, de buscar sempre o que nos traz inquietude.Tá na hora de crescer, de admitir os sentimentos minha gente...e bora viver, e ser feliz porque a vida é curta.
olha parabéns pelo seu blog, por suas palavras, vc escreve maravilhosamente bem, é q vem do coração neh! Bom, desejo sucesso a vc...Deus te abençoe.
Bjs sabrina.

Rita Ribeiro disse...

Gosto muito do que você escreve, talvez porque, como você mesma diz, você escreva o que sente, o que vem do coração e dá a cara a bater. Isso que é bom. E você cria uma empatia muito legal com todos!
Parabéns!

Se quiser conhecer meu blog passa lá.
pensamentomeleve.blogspot.com

Beijo grandãooooo ;)

Carla Cinara S. Luz disse...

MARAVILHOSO O BLOG!
MARAVILHOSA VC!

VISITA OS MEUS:
www.carlacinara.blogspot.com
www.aquiteminclusao.blogspot.com

Laura K. disse...

É muito mais fácil (e prático) pôr a culpa nos medos que tentar mudar a realidade na qual já se está acomodada.

diego de souza disse...

Simplesmente genial!

Anônimo disse...

Fernanda, parabens pelas lindas coisas que escreves.
O dom da escrita, nem todos possuem e vc realmente tem esse dom. Observei no facebook q tem pessoas q usam suas cronicas sem dar o credito a autora, q eu saiba isso é crime.
Te levo tal abuso, apenas por não aceitar a impunidade. Poderia eu mesmo tomar uma atitude, mas cabe a vc, tomar a referida dicisão.
Este é o endereço de onde a sua cronica esta sem os devidos direito.
(https://www.facebook.com/angela.figueredo.18#!/angela.figueredo.18?fref=ts)

Mais uma vez, parabens, abraços

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!