Vê-Nus


autoria: Fernanda Mello e Eduardo Fonseca
(poesia escrita a 4 mãos)



Vemos o que não sentimos
Vê-nos, o tempo passando
NUS.
No céu, do mar adentro,
LUZ.
Que nos traz a sombra.
Vênus, volte-nos!
De onde eu vim, VENHO.
Nada parece tão longe, mais longe do que parece.
De onde eu vim,
mágicas acontecem no escuro da luz
De onde eu vim,
o tempo é uma ilusão vadia.
De onde eu vim,
estrelas nunca morrem cedo.
(Só se perdem no escuro da nebulosa).
Vem, gravidade!
E veja as Supernovas
Nos vendo nascer
NUS.
Nos campos celestes onde é sempre noite.
Onde o sol sempre se inicia
Como qualquer outra estrela
Num reciclar eterno de ESPAÇO.
ENCANTO.
E ESPANTO.


(da série Poesias Insanas) 
Foto Alê Ladeira



2 Fala, coração!:

Deuza Alcântara disse...

Ai Fernanda, sua LINDA!

Unknown disse...

Fê, comecei a acompanhar seu blog a pouco tempo, e sinceramente? Estou encantada,inspirada, cada verso seu é inspirador. Você tem um dom especial de escrever, li alguns post antigos, alguns mais românticos. Lindos. Parabéns por seu dom, que vc continue postando sempre aqui. Beijos

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!