NA DÚVIDA, DESCOMPLIQUE...


“In every life we have some trouble,
When you worry you make it double
Don't worry, be happy”...




Queridos, trago boas novas. Para ser feliz agora não é preciso ter rios de dinheiro. Um amor de cinema. Um corpo de Sabrina Sato. Nem um rosto de parar o trânsito. Para ser feliz, não é preciso nem ter uma carreira brilhante. Um carro zero. Uma família de comercial de margarina. Nem – tampouco – é preciso ser sensacional. É claro que tudo isso ajuda (se presente). Mas garantia, garantia mesmo de felicidade, nada disso dá. Então, por favor, GRIFEM. E DECOREM. Felicidade a gente SÓ encontra dentro da gente. Enlouqueci? Não. Pelo menos, eu acho que não. Acabei de voltar de Itacaré e vou dizer o que vi por lá. Pra começar, gente simples que sorri mais (muito mais!) que aqui – na dita cidade grande. Pessoas gentis, com pés descalços, vendendo artesanato na areia quente, com a alma mais leve e fresca do que eu jamais ousei imaginar. Sério, pessoal. Há muito tempo não via tanta simplicidade (e alegria!) juntos. Eu sei que o cenário ajuda. (Lá é um dos lugares mais lindos que já vi). Mas depois que viajamos (acho viajar o exercício de autoconhecimento mais incrível que existe), nosso ponto de referência se altera. Muda e, dependendo de como você embarcar na viagem, MUDA MUITO. É aí que o bicho pega e a gente começa a se questionar sem parar: ENTÃO, É ISSO MESMO?

Entendam uma coisa. Não estou dizendo para a gente largar emprego, abandonar família, parar de malhar, comer só Nutella ou virar hippie... Nada disso. A palavra de ordem é EQUILÍBRIO. E a receita (se é que existe) é uma só: fazer as pazes com você mesmo, se aceitar, diminuir as expectativas e entender que felicidade não é TER. É SER. E no meu caso, é SER como o Ademir, o Cosme, o Seu Lauro... Pessoas de uma simplicidade encantadora que conheci por lá e que me deram uma lição pra eu nunca mais esquecer: “SEJA, minha amiga, mas SEJA NA PAZ”. Sem expectativas irreais. Sem pressões absurdas sobre si mesmo. Sem pirações desnecessárias.

Papo de riponga? Pode até ser. É a sabedoria das pessoas simples. (Deliciosamente simples!). O saber de quem nunca estudou e – ainda assim – tem um conhecimento para deixar muito intelectual de queixo caído. DUVIDAM? Então deixa eu contar uma coisa. Depois de conversar com essa gente, fica impossível não questionar a falta de tranqüilidade, de simplicidade e de gentileza que controla o resto do mundo. Quando colocamos os pés num lugar assim (no caso, em Itacaré), a gente redescobre o que estava perdido e pensa: que vida é essa que estou levando? E as dúvidas surgem. A insatisfação dá as caras. E passamos a repensar tudo o que está em jogo. As conclusões? Ah, são muitas... E, quer saber? Não são fáceis, porque a gente vive num mundo onde a mídia e a sociedade nos influenciam muito. Mas, mesmo assim, devo deixar registrado. Não vale a pena ter uma conta bancária recheada se o dinheiro só te trouxer estresse. Não vale ter um amor ao seu lado se só te trouxer descontentamento. Não vale ter um corpo sarado se não puder cair de boca num bobó de camarão. Não vale ter amigos divertidos que não se interessam pelo que você sente. Não vale (definitivamente não vale), ter um emprego que NUNCA te deixa dormir.

É turma, felicidade tem muito mais a ver com estar em paz do que a gente pensa. E nunca vamos nos sentir bem em nossa própria pele se a cabeça tiver cheia de neuroses e demais ansiedades. Difícil? Ah, Deus, bota difícil nisso! Por isso, volto com as malas cheias de arte, rabiscos e ideias. De quebra, trago também a simplicidade e a tranquilidade baiana. Mesmo agora, em plena cidade grande, na frente do meu antigo computador, posso pegar emprestado o estilo de vida do Seu Lauro. A inteligência simples do Ademir. O sorriso fácil do Cosme. E, bem... Tentar adaptá-los para mim. É fato que a vida nem sempre é um mar de rosas. Mas “Veja bem, galega, preocupação não deixa ninguém saUdio. De mais a mais, depois que a gente morre, a gente leva da vida o quê?”. Eu me atrevi a dizer: Seriam lembranças, Seu Lauro? E ele sorriu satisfeito. “É galega, NADA mais que lembranças.”

Eu e Seu Lauro num passeio cheio de "causos".

Arte do Ademir
Cosme










Todo esse texto me trouxe a seguinte questão: O que eu vou levar daqui?

Trânsito caótico, cara-feia, mau-humor, ansiedade, estresse diário, regras espartanas e uma mala de birutices...?

Ou um sorrir fácil de quem entendeu que a vida é simples demais pra se complicar?



Alternando entre um e outro, vamos tentando... Exercitando a arte de ser leve. Tirando o peso das costas. E, vez por outra, colecionando boas lembranças.

NÃO É ISSO, SEU LAURO?


Seu Lauro

 Fotos: Marinho Antunes

43 Fala, coração!:

Nanda disse...

Fê...
Ainda ontem eu comentava isso com meu irmão, sobre a diferença gritante de dois dos nossos tios... um tá bem, cheio de classe social, o outro é simples, luta que nem doido e é incansavelmente mais feliz... tá sempre sorrindo, sempre acreditando, enquanto que o outro mal tempo de respirar.
A felicidade vem das coisas simples, aquelas que as vezes não podemos tocar com as mãos, só com o coração!

Adorei te ler! Adoro você

Beijos

@fergreg

Marília de Paiva Siqueira disse...

Felicidade.
Simplicidade.
Plenitude.
Paz de espírito.
Penso que aos poucos a gente aprende a ser cada vez melhor com a gente mesmo e, assim sendo, melhorando a gente mesmo pra lidar com o mundo.
Que tenhamos dedicação, paciência e sejamos sempre perseverantes.
Que nunca deixemos de sonhar.
Um beijo da fã! Marília.

karina disse...

Que texto lindo e relaxante! "Sabedoria das pessoas simples" "Felicidade não é ter é SER" Amei! Realmente estamos em falta de tranquilidade, simplicidade e gentileza. Quero viajar AGORA!!!

karina disse...

Esqueci é Karina Balde! haha

Anônimo disse...

Ai, Fernanda, esse texto me fez suspirar. Coisa mais linda. Deu vontade de chorar, diante de uma vida tão estressante que ando levando. Engolindo. Você é especialmente linda e tem uma simplicidade que é surreal. Queria um abraço seu. Forte.

Paula Figueiredo disse...

Oi Fê!

Não há nada como viver o AGORA sem apego, pois tudo vai. Meu avô tem Alzeimer e teve uma vida ocupada, séria, buscando sucesso, conquistas, prosperidade material. Ele conseguiu. No fim da vida, acabou por ter Alzeimer e um dia, chorando, disse: "A gente não leva nada dessa vida, só as boas obras". Ainda é tempo! Façamos: vamos SER e AMAR!

Vida É. Absolutamente.
Extensivo à nossa MENTE!

Beijinhos!

E vamos CONFIAR na VIDA! :)

Paula Figueiredo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Regiani Veiga disse...

Esse texto não podia ter vindo me melhor hora... hehehe
bjs

Cristiane disse...

É isso aí... não há mais nada o que dizer... vc sempre diz td...rs.
Obrigada pela palavras sempre iluminadas...
Bjo :)

Mika disse...

Fiquei emocionada! Demais, Fê!


Beijos, galega! hauhaua...

Anônimo disse...

Amiga que delícia de texto, deu até pra sentir a areia no pé! E quer saber acho que daqui desse mundo, se eu não levar as boas lembranças como o Seu Lauro, o sorriso e a arte... pelo menos eu vou morrer tentando!

Abaixo ao estresse!!!!!!

Beijoooooooo Rê

Anaterra disse...

Você é uma encanta-dora de palavras..
Que bonito é seu coração!
O simples sempre me comoveu, e a fê-licidade mora nessas horinhas de descuido!Mas o que é a sua vida além desse amontoado de palavras? É como se elas fossem um embrulho incrível envolvendo uma imensa solidão. Enquanto todos aspiram amores e coisas materiais, vc aspira à verbalização daquela sensação indefinida!Sinta sempre! Gosto daqui.
Beijos

Anaterra

Sabiana M. disse...

Lembrei do livro e filme: Comer, Rezar e Amar.

;)

bjus

Kátia Brito disse...

Pois é Fê, por isso gosto tanto de viajar. Abre a mente da gente para uma série de coisas que a gente foi perdendo e esquecendo pelo caminho.
Faz a gente ver que o mundo não se resume ao nosso grupinho de amigos, que as cidades não se resumem ao nosso municipio ou estado, enfim.
E depois, é não deixar que a rotina tire isso de novo da gente.

Beijos querida.

Nicole Quaresma disse...

Fê só num chorei porque não tava pronto...
Que texto lindo,tudo verdade,e eu não me sinto assim a meeeeeses!
Tava precisando de um chacoalhão desses!
Lindo,MUITO LINDO!
=)

@niiico_le

Livia Garavello disse...

Fê, simplesmente encantador... A paz, a simplicidade passada no texto nos faz perceber que a vida é muiiito além!

beijão querida!

@livrinha

Francielly Calheiros disse...

ai, que lindo o seu texto... mas é isso mesmo, a gente tem mais é que ser feliz do jeito que é, valorizar os pequenos detalhes, procurar ver as coisas pelo sempre pelo lado bom, saber dar valor as pessoas que estão ao nosso redor, buscar a humildade e ter sempre um sorriso no rosto.
e viajar é realmente muito boom! adorei o texto, como sempre. ;*

Mergulhando Neu disse...

è Fenada, viagem faz a gente viajar pra dentro da gente mesmo, se questionar de "n" coisas! Particularmente, concordo com vc sobre essa sensação vivida em Itacaré. Qdo fui conheci pessoas absurdamente simples e recheadas de humildade, paz e alegria! Temos sim que repensar em nosso dia-a-dia, com responsabilidade, desde que sempre consigamos temperá-lo com alegria, paz e amor...
Suas fotos ficaram lindas. Parabéns por expressar tão bem o que viu!

Blog da Kellica - Mergulho Interior disse...

desculpe ter digitado errado seu nome Fernanda...

Da Minha Janela disse...

Ah nãoooooo..tenho um post prontinho sobre isso..!

é esta a idéia. a felicidade é dentro, não é fora..e não dá colocar no outro, no amor, no emprego...

felicidade é condição de ser e não de estar...!

Ludmila Melgaço disse...

Putz Fê, lendo essas palavras e escutando Engenheiros gritando "mas se depender de mim, eu vou até o fim!" eu só podia fazer uma coisa: chorar.

Ouso dizer que ando num momento em que a felicidade não desgruda de mim ao mesmo tempo em que tudo parece que vai desabar a qualquer momento. E num momento desses, haja força pra achar o tal equilíbrio.
Eu tô tentando. Feliz!
"ah, vida real..."

Enttreaspas disse...

Que texto lindo, me fez refletir sobre nós, sobre o que estamos fazendo de nós... humanos, pessoas.
Simplicidade, gentileza, amor e respeito ao próximo, essas foram algumas das impressões tão expressas nesse post. Belo

Estás convidada a conhecer meu espaço www.enttreaspas.blogspot.com, serás muito bem-vinda.

Beijos e sucesso sempre: )

Rímel pra que te quero! disse...

É isso aê Fê ! Adorei. Sua sensibilidade é tudo!
Beijos lindona,
Liv.

Victória Resende disse...

Ai, que texto mais lindo, que fotos mais lindas! Fico muito feliz de você ter voltado da Bahia feliz, renovada e inspirada rs. ;D

Anônimo disse...

Que lindo sista... Amei demais!!! A felicidade está nas coisas mais simples da vida mesmo!!! Te amo!!! Ka.

Merlaine Garcês disse...

Seguindo-te Fernanda!
Bjs!
Conheça meu blog
http://wwwautenticidade.blogspot.com

Ellen disse...

É por isso que viajar é uma das maiores riquezas da vida! Exatamente sobre esse assunto, estou lendo "O que realmente importa?" e questiono muito sobre isso... Afinal, a idade de um homem não deve ser contada pela qtidade de vezes que ele respira, mas sim pela qtidade de vezes que ele perde a respiração.

*adorei seu livro, viu?!
bjao querida!

Miss. Tério disse...

Fê,
Texto lindo. Tive em itacaré menina, nunca mais voltei lá apesar de ir tão perto em ilhéus. Vou voltar lá... Preciso dessa energia boa!
Parabéns pela magia!

Y. disse...

Fe, não é papo de riponga não! É a pura verdade... mas infelizmente algumas pessoas pensam que a felicidade é algo tão inatingível e não percebem que na verdade, é tudo muito simples! Conheça a si mesmo, encontre sua essência... Descubra sua felicidade!!! PAZ pra ti! Bjão

Yohana d'Arc disse...

Fernanda, á pra sentir a energia boa lendo daqui! Experiências assim são mesmo renovadoras! Adorei descobrir seu blog, já havia conhecido seus escritos através do meme, aliás, não sei se você sabe mas tem muito de seus escritos lá, lindos!rs
Sou sua nova seguidora e estou adicionando seu blog à lista do meu...que possamos ter contato! :)

Feeling disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rolando disse...

OLÁ. ESTIVE AQUI DANDO UMA OLHADELA. MUIT LEGAL. GOSTEI. APAREÇA POR LÁ. ABRAÇOS.

Atestado do Óbvio disse...

Lindo seu blog! Conheci seus escritos agora e estou encantada! Tb escrevo (tento). Se der passa lá no meu blog. Tá add nos favoritos! Bjus

Camila disse...

foi maravilhoso ler esse post e ver essas fotos... a vida é bela mesmo.

Paulinha Hanser disse...

Magnifico!!!!! Nem tenho palavras pra dizer o quanto amei esse texto!!

Pôxa a Baêa tem um poder sobre as pessoas!!! Já senti muito essa FORÇA e simplicidade baiana quando por lá estive, e trazer isso pra vida cotidiana é fundamental!!

Bêjoo
P.S. Tô colocando a leitura em dia aqui!

Cl@udinh@ disse...

Ah, como é FANTÁSTICO ouvir essas pessoas, como é profundo e como é uma escola de vida, não?
Obrigada por compartilhar conosco.
Tô com vontade de ir pra Itacaré! :)

Mayara disse...

Nossa... Lugar lindo! Bem o q vc falou lá tudo ajuda! Mas o q mais me deixa indiguinada e o preconceito que se tem com o povo de lá.. Se tivesse nascido por lá, jamais viria para uma cidade q nem SP onde.. nao se existe nem sorriso!

Aline Domenici disse...

Que texto delicioso de ler!!!! esse Blog foi um achado!!!! "Exercitando a arte de ser leve" Parabéns!

Anônimo disse...

Juro que quando terminei de ler eu chorei. Não sei se é minha sensibilidade a flor da pele, mas quando terminei o texto e vi a foto, que lindo. Incrível como existem pessoas que conseguem ser tão simples e maravilhosas ao mesmo tempo, tão humildes e tão felizes.Elas são de uma beleza indescritível. Se todos tivessem a sensibilidade de olhar e aprender um pouco mais com todas essas pessoas, estariamos e seriamos com toda certeza muito melhores.

Andréa Fernanda disse...

Oi Fernanda...
Tb sou Fernanda, tb sou canceriana, tb prefiro ficar em casa, tb só saio pra comer e morando na praia tb aprendi que ser feliz é ser simples e isso só é possível pra quem tem isso cá dentro...
Lendo seus textos eu pensei..que bom que não sou louca sozinha....rs
Bjus

Paolla Milnyczul disse...

Itacaré realmente é um paraíso! E deixa na gente um paraíso na alma também.
Fernanda, me identifico muito com seus textos, com seu jeito leve de escrever, e mesmo assim falar tudo!Adoro Ler-te!
beijos

Paolla

http://licordeamora.blogspot.com

ReGi disse...

Pois é.... sempre penso nisso, pq a vida que a gente anda levando, não é vida, é correria.
Sem tempo pra curtir e literalmente 'viver".
Vontade de largar tudo e ir ser feliz assim, de pés descalços na areia... aiai :).

Mateus J.C. disse...

Legal demais você falando tudo isso...tem 6 anos que estou aqui em BH.Eu sempre digo: Eu moro aqui,mas não sou daqui,sou do interior! E isso levarei pra toda minha vida. O que você descreveu,é o que eu vivo quando vou na minha cidade ver meus pais,rever os amigos e trocar idéia com gente da roça.Nadar em cachoeiras,cuidar das minhas plantas,enfim...isso que é vida!!

 

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Dia 03 de dezembro tem Gabi Mello!

Anuncie aqui!